a carregar...

mimmos | 2ª Edição

nas ruas, praças e jardins
de Agualva e Mira Sintra

5 – 14 Julho
historial

Boca de Cão (Portugal)


A Boca de Cão – Teatro de Rua e Formas Animadas surge do amor às artes plásticas e ao teatro de rua, iniciando o seu percurso com o espetáculo de marionetas humanas “Agostinho e Felicidade” em 2013. Da vontade de continuar a apresentar criações específicas para a rua e de desenvolver um universo próprio de fusão da estética tradicional com a contemporaneidade, Hugo Ribeiro e Muni Joana Domingos fundam a companhia em 2015, no Festival Mar Marionetas de Espinho onde estreiam os espetáculos “Alforria” em 2016, “Toque de Caixa” em 2017 e “A Fonte” em 2018, uma cocriação com Anymamundy e encenação de Tommy Luther. Igualmente em 2018 criam as animações de rua Ristorante e O Misterioso Caldeirão da Bruxa.

Além das formas animadas, desenvolvem desde 2010 criações plásticas, instalações e performances para o espaço público, e colaboram com várias companhias de teatro, marionetas e circo, no desenho e construção de cenografia, adereços, marionetas e interpretação, tais como Teatro do Frio, PELE, Radar 360o, Erva Daninha, Nuvem Voadora, Teatro e Marionetas de Mandrágora, e Comédias do Minho. A destacar a participação na criação da cenografia e interpretação do espetáculo “Os Transportadores” da Companhia Radar 360o, projeto vencedor da 1ª Bolsa Isabel Alves Costa, parceria FIMP, Comédias do Minho e Teatro Municipal do Porto em 2015.

Curiosidades: O nome Boca do Cão vem de uma flor, vulgarmente chamada boquinha de cão, boca do lobo, ou boca de leão (Antirrhinum majus), cuja particularidade de se apertar lateralmente a flor, ela abre e fecha como uma boca. Este movimento resumiu de uma forma poética a nossa curiosidade sobre os mecanismos da marioneta.

links